Análise de Óleo Isolante

Análise de Óleo Isolante

A Média Voltagem ajuda a garantir a máxima vida útil do transformador, através de um corpo técnico super analítico, que irá ajudá-lo a reconhecer os fatores inevitáveis que contribuem para a degradação do transformador.

Em parceria com o Laboratório Químico LORENCINI, a Média Voltagem utiliza uma abordagem para reunir conhecimentos profissionais e técnicos altamente qualificados e assim atender todas as necessidades de amostragem do óleo.

A detecção precoce de umidade, calor, oxidação, gases combustíveis e impurezas químicas no óleo isolante são fatores significativos no problema total de deterioração do transformador.

Os óleos isolantes devem ser testados quanto aos gases dissolvidos e propriedades físicas em intervalos programados para avaliar a condição do transformadores á óleo.

Os resultados destas análises podem indicar o estado de deterioração do óleo isolante e outros componentes internos, como: papel isolante MK, barbante, cardaço, chapas isolantes de madeira, baquelite e/ou celeron.

Veja quais análises são feitas nas amostras que coletamos durante a manutenção:

Análise Cromatográfica

A concentração dos gases dissolvidos no óleo mineral isolante é determinada por uma Análise Cromatográfica. Sua formação no interior dos transformadores pode ser causada por maus contatos entre conexões internanas, baixa isolação entre espiras e bobinas, correntes de curto circuito e tempo de trabalho prolongado com cargas elevadas. Durante a analise é observado os seguintes gases:

  • Acetileno;
  • Hidrogênio;
  • Metano;
  • Dióxido de carbono;
  • Monóxido de carbono;
  • Etileno;
  • Etano;
  • Oxigênio;
  • Nitrogênio.

Análise Físico-Químico

O que determina a capacidade de isolação e o estado de envelhecimento do óleo mineral é a análise físico-química. A análise de óleo é comparada com os valores estabelecidos em norma. Se detectado valores fora dos limites, podem indiciar a regeneração, substituição ou tratamento do óleo através do filtro prensa ou termo-vácuo.

Nos transformadores, os óleos minerais têm a função de resfriamento, além da propriedade de isolamento. Dessa maneira, através da circulação natural ou forçada do óleo pelo radiador, a temperatura gerada entre as bobinas e núcleo de ferro magnético é transferida para o meio ambiente. Mediante a amostra de óleo retirada do transformador, é possível fazer as seguintes análises físico-químicas.

  • Fator de Potência: Indica a presença de substâncias que causam condução elétrica.
  • Tensão Interfacial: A Tensão Interfacial indica a deterioração do óleo, pois é responsável pela formação de borras.
  • Rigidez dielétrica: Evidencia a presença de contaminantes como: água, sujeiras, partículas condutoras etc.
  • Cor: Uma mudança na cor do óleo indica deterioração ou contaminantes do óleo isolante.
  • Índice de Neutralização: É um teste que mede o teor de ácidos formados por oxidantes, responsável pela deterioração do papel isolante e a formação de borras.
  • Densidade: Teste realizado para identificar o tipo de óleo isolante (naftênico ou parafínico).
  • Teor de Água: O teor de água acima do admissível acelera a degradação do óleo e papel isolante.
  • Teor de PCB: Mede a concentração de ascarel no óleo do transformador. Apesar do ascarel não ser mais um óleo utilizado, mesmo em pequenas quantidades pode ser considerado contaminante para o transformador.

Para mais informações entre em contato conosco.